Do vinho rosé aos azeites: Vinícola Aurora se faz presente em cores, aromas e sabores

Logo Aurora

A Vinícola Aurora apresenta o seu vinho rosé Aurora Reserva Rosé 2017 elaborado 100% com a uva Merlot.

Esse rosé chega para ser uma das boas opções em vinhos leves e despretensiosos em épocas de clima quente mas que, pela sua característica gastronômica e ampla gama de harmonizações, é ideal para todas as fases do ano.

Aurora merlot rose

Ideal para acompanhar os diversos pratos da cozinha asiática – tailandesa, japonesa, chinesa ou indiana – , a vasta culinária litorânea de várias origens (paellas, risotos com frutos do mar, ensopados de peixes e moquecas em geral) além de assados de carne branca e suína e massas com molhos leves e sem carne, além de diversas frituras presentes nas mesas de bar e nas festas, o Aurora Reserva Rosé também é excelente nas reuniões ao redor da piscina ou na praia, com sua leveza e frescor.

Na riqueza de aromas sedutores de frutas tropicais e forte presença de morango e de framboesa, além de toques florais nos seus aromas. Na estrutura revelada em boca com interessante acidez, toda a harmonia no corpo e na estrutura, formam um conjunto delicioso e faz deste rosé um vinho leve, impossível de provar só uma taça.

Aurora rose uvas merlot

Seu layout do rótulo foi pensado para destacar a leveza e a jovialidade.

Além disso, a Vinícola Aurora lança também seu azeite extra virgem chileno na linha Pequenas Partilhas Notáveis da América.

Maior vinícola do Brasil amplia sua linha com conceito de América do Sul incorporando a ela um azeite gourmet de alta qualidade, elaborado no Vale do Maule, no Chile.

As opções de embalagem são em garrafas de 500 ml de vidro escuro com o prático bico dosador vai e vem e em kits com 12 garrafinhas de 15 ml, ideais para consumir em doses únicas ou para presentear.

azeite_pequenas_partilhas_chile

Faz parte do projeto de ampliação da linha Pequenas Partilhas Notáveis da América, lançada em 2015 com vinhos tintos de uvas ícones de 4 países produtores sul-americanos: Cabernet Franc do Brasil, Carmenère do Chile, Malbec da Argentina e Tannat do Uruguai.

O objetivo desse projeto é o de atender aos clientes que apreciam produtos com diferenciais de qualidade, prezando pela saúde e bem estar, em todo o Brasil.

A opção de integrar a linha com azeite se deu em razão dessa sinergia natural e histórica entre vinho e azeite. O Chile foi o país escolhido para ser o fornecedor do azeite, em função de suas privilegiadas condições naturais e fitosanitárias.

O azeite extra virgem Pequenas Partilhas Meio Dia Notáveis da América é elaborado no Vale do Maule, com as variedades picual (70%) e arbequina (30%), e tem um índice de acidez máxima de 0,2%. É um azeite extra virgem de alta gama, muito bem equilibrado (com a picância da picual e a suavidade da arbequina) e agradável ao paladar, ideal para enriquecer o sabor de folhas verdes fortes, carnes vermelhas grelhadas e para compor vários tipos de molhos. Estará em breve à venda em lojas, empórios, restaurantes e em grandes redes de varejo de todo o Brasil.

Cooperativa Vinícola Aurora

Visite o site: www.vinicolaaurora.com.br

SAC: 0800 701 4555

Matriz Bento Gonçalves (RS): (54) 3455-2000

Filial São Paulo: (11) 3051-6124

Escritórios e representantes em todo o território nacional

 

 

 

 

 

Chile: Chateau Los Boldos e a excelência em sua linha de vinhos

20170802_163656

Que o Chile vem elaborando vinhos de grande qualidade isso é notório, mas perceber que uma determinada linha de vinhos aparece totalmente revigorada e única, isso só o comparativo pode proporcionar.

Neste sentido fomos apresentados aos novos vinhos que desembarcarão ao longo dos próximos dois anos aqui no Brasil.

Os vinhos do Chateau Los Boldos, provenientes do Valle de Cachapoal, Chile, se apresentam nas garrafas com a mais alta gama em qualidade. Trazidos pela Importadora Zahil, tem sua história recontada na reformulação de suas linhas e vinhos.

Novo desenvolvimento com características modernas e adequadas a uma “não padronização”, surgem em cada terroir, em cada desenvolvimento seja nos blends ou nos varietais.

20170802_153156

Pertencente ao Grupo Sogrape, de Portugal (Desde 2008), o Chateau Los Boldos desenvolve e divulga seus vinhos e sua marca de forma independente, desde que implementou a plantação em 2010, na evolução da matéria prima e enológica, refletindo um legado europeu em solo chileno, onde impera a qualidade na produção 100% de uvas próprias.

Não vou aqui descrever cada um dos sete vinhos apresentados para a imprensa, e nem mesmo os apresentados no “walk around” de safras anteriores ao novo projeto, mas evidencio o que me chamou atenção como preço e especificamente alguns dos vinhos degustados.

Lembrando que a experimentação possibilitou o comparativo entre um estilo de fazer anterior e o novo, superando as expectativas e envolvendo em cada taça degustada.

Obviamente quem conhece meu gosto pessoal sabe que sou um apaixonado pela uva Chardonnay e pela Cabernet Sauvignon, e eu não poderia deixar de descrever estes vinhos.

20170802_175046

– Tradition Réserve Chardonnay 2017 (O anterior 2015 também proveio em paralelo).

13% de teor alcoólico é um vinho na faixa de R$ 76,00.

Amarelo pálido, com toques brilhantes e reflexos esverdeados.

Este vinho tem passagem de 20% em madeira por 3 meses, e demonstra uma sutileza nos aromas, evidenciando a fruta, pedra de isqueiro e também aspargos verdes.

Em boca revela um toque resinoso, químico e floral, bem como excelente acidez e persistência demonstrada no equilíbrio do conjunto. Tem bom corpo, é elegante e fácil de beber. Um vinho que preencheu meu paladar trazendo alegria e contentamento. De encher os olhos e a taça, sem parar!

Bom potencial de guarda (ao menos 5 anos).

Já na safra anterior, a 2015, notei mais madeira, dificuldade de saborear, mais peso e amargor final.

– Tradition Réserve Cabernet Sauvignon 2016 (O anterior 2015 também provei em paralelo).

13,5% de teor alcoólico, também na faixa de R$ 76,00.

Cor rubi intensa com reflexos arroxeados.

Vinho que tem passagem em carvalho francês por 6 meses, apresentando aromas de framboesa, especiarias e um toque de aroma doce.

Em boca tem taninos macios e suaves, é de médio corpo, fácil de beber, boa acidez e equilíbrio, com um toque de chocolate muito agradável.

– Grande Réserve Cabernet Sauvignon 2015 (Anterior safra 2012).

Aqui a gente começa a falar de complexidade, tanto aromática como em boca.

Este excepcional Cabernet tem colheita manual e passagem de 10 meses em barricas de carvalho francês.

Tem coloração rubi intensa e profunda.

Nos aromas demonstra toda a sua intensidade e diz ao que veio. Aromas diversos que envolvem e chamam á taça. Cerejas, cassis, couro e fumo.

Em boca além de evidenciar os aromas e comprovar na taça a fruta, o equilíbrio e o corpo, apresenta taninos redondos, persistência, fruta em compota mas sem ser doce. Um “super” Cabernet adequado ao meu paladar e aos amantes desta uva.

14% de teor alcoólico e preço na faixa de R$ 147,00

Apresenta grande potencial de guarda, possivelmente acima de 10 anos que ao longo do tempo, vai exprimindo toda a sua maturidade e complexidade na taça.

20170802_180403

Provei outros vinhos, que também me agradaram muito, como o Tradition Réserve Sauvignon Blanc 2017, de grande frescor. Delicioso!

Provei também 2 Carmenérès e o Assemblage. Garanto que cada um desse vinhos vale muito a pena.

Agora é esperar desembarcarem no mercado brasileiro, trazidos pela Importadora Zahil.

 

De Vinum apresenta Baron Philippe de Rothschild: Chile e França na Ville du Vin

Em almoço realizado na Ville du Vin do Itaim, a Importadora De Vinum apresentou 5 rótulos deste conceituado produtor.

Na pauta e na mesa, Chile e França, com seu “terroir” diferenciado em cada localidade e unindo tecnologia e conhecimento de vitivinicultura, expressado em cada taça.

Provamos dois brancos e dois tintos e no final um vinho de sobremesa.

Vale lembrar aqui a dedicação e o histórico da família iniciado em 1853 no vinho, que se propagou em reconhecida qualidade por todo o mundo. Principalmente quando se traduz os blends excepcionalmente elaborados.

Abaixo os vinhos provados:

img_1567

 

img_1576

– Mouton Cadet Sauvignon Blanc 2014: da França, muito aromático é um vinho que reflete a busca por maior frescor, com teor alcoólico de 12,5% e preço sugerido de R$ 115,40.

– Escudo Rojo Sauvignon Blanc 2014: De Casablanca, Chile, um vinho com complexidade e mineralidade olfativa e em boca. Apresenta fruta, frescor, excelente acidez, médio corpo, limão e frutas cítricas, com final prolongado. Teor alcoólico de 12,5% e preço sugerido de R$ 112,70.

Este dois exemplares demonstram bem a dimensão comparativa dos diferentes “terroirs” e público. Enquanto o primeiro é fruta, aromas e delicadeza, o segundo é corpo, estrutura, mineralidade e complexidade.

img_1589

– Mouton Cadet  Special Vintage 2012: De Bordeaux, França, é um blend das uvas 80% Merlot, 10% Cabernet Sauvignon e 10% Cabernet Franc.

Elegante, complexo , integrado, tem passagem em barricas de carvalho por 6 a 7 meses.

Teor alcoólico de 13,5% e preço sugerido de R$ 156,64.

Agradou pela maciez e elegância. É tânico na medida certa com um agradável toque final de café, notas tostadas e especiarias.

– Escudo Rojo 2013: Este vinho produzido no Chile é um blend das uvas Carmenérè 40%, Cabernet Sauvignon 38%, Syrah 20% e Cabernet Franc 2%. Com passagem de 12 meses em barricas de carvalho, sendo 67% novas.

Expressa aromas intensos de frutas maduras, em boca é elegante e aveludado. Com taninos redondos e muito elegantes. Teor alcoólico de 14% e preço sugerido de R$ 117,00.

img_1603

– Mouton Cadet Reserve Sauternes 2013: Da França. Este vinho de sobremesa é composto das castas Sémillon 85% e Sauvignon Blanc 15%.

É um Sauternes bem acessível e apresenta mel, compota de frutas e pêra. Adorei este vinho!

Teor alcoólico de  13% e preço na faixa de R$ 185,00.

Agora é esperar as próximas safras!

 

 

 

 

 

 

 

Escalera de Empedrado Pinot Noir 2012 é o novo vinho da Miguel Torres no Chile

Miguel-torres-1

Que a história de sucesso em vinhos é uma realidade quando se fala em Miguel Torres Chile, isto ninguém discute. Mas quando se tem a oportunidade de provar vários vinhos em uma única ocasião, e ter entre eles um lançamento, ah! Isto nos alegra e muito.

Competência, qualidade e uma busca constante por renovação, marcam a presença da Miguel Torres Chile no mercado mundial.

escaleras

E desta vez não é diferente. Escaleras de Empredado é a D.O. do Chile impressa no rótulo deste enigmático Pinot Noir foram 20 anos de esforço e 3 anos de trabalho até a finalização do projeto.

Integrado, macio e delicado, demostra uma potencialidade de guarda elevada. Aromas de frutas e na boca demonstra um toque da pedra, matéria do solo da região. Tem um “quê” de Borgonha e não havia visto Pinot Noir tão expressivo e redondo oriundo do Chile.

A faixa de preço é salgada, entre R$ 500,00 e R$ 600,00, sendo que estão previstas apenas uma pequena quantidade inicial de garrafas para o Brasil, buscando sentir o potencial deste tido de vinho Premium.

Quem trás o vinho é a De Vinum Importadora que também nos apresentou outros rótulos no almoço, além do Pisco El Gobernador, delicioso.

Vamos aos vinhos desgutados:

Estelado

– EspumanteSanta Digna  Estelado Rosé (Curicó): Da uva País, é o primeiro deste tipo produzido no Chile. Considerado pela Wines of Chile Awards em 2013 como o melhor espumante chileno – Guia Descorchados 2012/2013.

É realmente fantástico! Muito delicado e aromático. Faixa de preço entre R$ 70,00/R$ 75,00.

gewu

– Santa Digna Gewurztraminer 2014 (Curicó): Macio e aromático este vinho surpreende pelas notas florais, frutas e mel. Integrado, pleno, sem amargor. Em boca toque de aspargos verdes, hortelã e cidreira. Boa acidez e qualidade, sem passagem por madeira. Faixa de preço R$ 41,90

Cordillera

– Cordillera Carmenérè 2009 (Curicó): Corte das uvas Carmenérè (50%), Merlot (35%) e Petit Verdot (15%), este Carmenérè surpreende pelos aromas e pelo paladar. Passa 12 meses em barricas de carvalho francês (Sendo 30% novas e 70% de segundo uso).

Não é a uva que mais aprecio, mas este vinho harmonizou perfeitamente com a carne de churrasco, demonstrando a necessidade da harmonização e do alimento. Faixa de preço R$ 90,00.

É um sensacional Carmenérè!

Manso

– Manso de Velasco 2011 Cabernet Sauvignon (Curicó): Um dos mais expressivos vinhos da vinícola, na minha opinião. É integrado, macio, bem estruturado e aveludado. A cor é de um vermelho intenso, muito escuro. No nariz a fruta madura prevalece, em perfumes adocicados de compota. Na boca além das características que citei, é potente e a compota se torna ainda mais presente, unindo um tostado delicado e harmonioso.

Passa 18 meses em barricas novas de carvalho francês. A faixa de preço é de R$ 222,00.

conde

O último vinho também é um velho conhecido.  Conde de Superunda 2010, corte das uvas 63% Tempranillo, 26% Cabernet Sauvignon, 7% Carménère, 4% Monastrell.

Tem uma história incrível e interessante sobre a onda gigante que assolou a região de Curicó, a “Super onda” fruto de um tsunami.

Potente e único torna a experiência nos vinhos mais agradável a cada taça!

Faixa de preço R$ 290,00.

Todos os vinhos foram harmonizados com carnes de churrasco, bem preparados no Fogo de Chão.

nectaria

Para finalizar, e harmonizar com a sobremesa, provei o vinho Nectaria 2009 (Valle de Curicó), vinho de sobremesa da uva Riesling, botrytis e pacificado, com passagem de 14 meses em carvalho francês (50% em madeira nova), com o qual harmonizamos com a sobremesa da foto.

pisco

Em toda a refeição, fomos acompanhados pelo Pisco El Gobernador (Valle de Limari), 50% Moscatel de Alexandria, 50% Moscatel Rosé. Notas florais, rosas e jasmim com um toque cítrico delicioso, caiu muito bem entre uma carne e outra.

Em síntese, todos vinhos bem elaborados, demonstrando a diversidade chilena e o potencial de criação em seus vinhos.

Vida longa a Miguel Torres Chile. Quanto mais longa, mais longevos os vinhos e nossas possibilidades de degustação! Saúde!