Drink “The Farmer’s Mule” com vodka sem glúten

Stoli

O clássico atemporal Moscow Mule é um coquetel que nunca sai de moda e dá origem a diversas variações em torno da ideia original.

Criado nos Estados Unidos, na década de 1940, já chama a atenção pela forma com que é servido: em canecas de cobre. Mas independente da parência, o “líquido” é o que realmente faz toda a diferença.

O drink que consegue ser doce e refrescante ao mesmo tempo e agradando aos diversos paladares. Aqui a versão saudável criada com vodka Stolichnaya Glúten Free, o The Farmer´s Mule.

De fácil preparo, basta colocar em uma coqueteleira 60 ml de Stolichnaya Glúten Free, 45 ml de suco fresco de limão, açúcar a gosto e um pedaço pequeno de gengibre macerado com limão.

Primeiro coloque na coqueteleira o gengibre e macere. Adiciona todos os demais ingredientes e bata. Coe e sirva sobre o gelo moído em uma caneca Moscow Mule.

Finalize enfeitando com uma fatia de limão.

Receita The Farmer's Mule

Um pouco sobre a vodka Stolichnaya Glúten Free

Stolichnaya é a única vodka do mundo a obter o certificado Alpha Grade Spirit, rígido padrão russo de qualidade que estabelece um novo patamar, levando os níveis de pureza a resultados jamais vistos. E tal feito só é possível graças à comunhão entre a mais avançada tecnologia na destilação com o rigor na seleção dos ingredientes da mais alta classe. Com esse histórico, Stoli não poderia deixar de ser também a primeira vodka 100% glúten free do mercado.

Uma vodka feita em pequenos lotes, mais artesanal, destilada a partir de um blend de milho e trigo sarraceno, ingredientes naturalmente sem glúten.

www.aurora.com.br/marcas/stolichnaya/

Whisky The Macallan: Dicas para o momento de consumo

imagem_release_1260338

Gianpaolo Morselli, Brand Embassador da marca The Macallan, dá dicas e orientações de como melhorar a experiência de quem degusta este líquido tão precioso.

Algumas dúvidas sempre aparecem quando se fala do whisky. Algumas porque realmente criaram-se mitos, outras simplesmente por falta de maior conhecimento. Abaixo algumas dicas e orientações que podem melhorar a experiência no momento do consumo.

Afogamento

Já há algum tempo que se sabe que a água, ao contrário do que se acredita, não é inimiga de um bom single-malt. Pingar algumas gotas no copo pode abrir o aroma e sabor, mas a conta é 30% de água do volume total da dose.

“Excesso é ruim, não a presença. Água no whisky é igual sal na comida, o objetivo é realçar e não cobrir o sabor”, explica. Mas atenção. É preciso saber escolher a água. Quanto mais minerais (ferro, cálcio, manganês, etc), mais interferência a água terá no sabor da bebida.

imagem_release_1260330

Longo ou curto?

Nenhum dos dois. O melhor copo para tomar um whisky super premium, deve ter uma superfície em grande contato com o ar. Enquanto o copo longo é para drinks ou whiskies standard, que recebem muito gelo, um copo curto muito fechado também compromete a experiência.

“Quanto mais aromática é a bebida, mais interessante é que você a coloque em um copo que tenha uma superfície em contato grande com o ar”, comenta o especialista. Uma taça de vinho tinto, que não apenas abra, mas retenha o aroma, é a melhor aposta. A taça Bordeaux, por exemplo, é muito melhor que o copo baixo, que não tem bojo.

Favor não chacoalhar

O whisky tem no mínimo 40% de álcool. O vinho tem no máximo 16%. Quando você chacoalha um líquido que tem tanto álcool como um single-malt, vem à tona muito mais o aroma do álcool do que do whisky. Portanto, diferente do vinho, para liberar o aroma da bebida, o correto é girar o copo 45 graus, para molhar toda a superfície interna da taça e assim fazer com que os aromas evaporem uniformemente.

Idade, teor alcoólico e seus mitos

Associar o tempo de envelhecimento sinalizado na garrafa à quantidade de álcool é um mito. O componente serve para fixar o aroma e sabor, tal qual acontece com perfumes. Ou seja, quanto mais “corpo” a bebida tem, mais álcool é preciso para que o single-malt não volatilize perdendo os sabores. É essa a mesma razão de afirmar que, ao contrário do que se pensa, é o maior teor alcoólico que torna a bebida mais agressiva. A verdade é que um whisky 40% (12 anos), por exemplo, é mais agressivo que um 50 ou 55%. Também não é o tempo de envelhecimento que garante um bom whisky. É a madeira na qual ele envelhece que confere mais aroma, estrutura e qualidade, pois quanto mais velha a árvore, mais resinas e óleos essenciais do carvalho ela contém, conferindo mais complexidade à bebida. A árvore de carvalho da madeira do barril do The Macallan, por exemplo, tem que ter no mínimo 100 anos.

Gianpaolo reforça que um toque pessoal é sempre bem vindo. O especialista, por exemplo, tem um ritual pessoal para suas doses de The Macallan: abrir, servir, e deixar a dose descansar cerca de 40 minutos. “O líquido respira, fica mais doce, menos volátil, ou seja, estabiliza”, comenta.

Informações: Aurora Importadora – http://www.aurora.com.br/ e (11) 3048-2288

Sobre The Macallan

Fundada em 1824, às margens do rio Spey no nordeste da Escócia, The Macallan iniciou sua vida como uma empresa pequena, fornecendo à vizinhança um whisky single malt que rapidamente alcançou fama por sua excelente qualidade. Os primeiros donos compartilhavam a determinação na fabricação do melhor produto possível, um legado que foi passado através de gerações. Hoje, a reputação de The Macallan pela qualidade e caráter distintivo é apreciada por “connoisseurs” do mundo todo *e é reforçada pela sua constante aparição no Guiness Book, o livro dos recordes, na categoria garrafa de whisky mais cara já vendida. O último recorde mundial foi de USD 628 mil. Tal feito toma como base o trabalho dos antigos mestres para que sejam usufruído pelas futuras gerações.

 

 

Cinco “feras” e cinco drinks para brindar cinco décadas do Terraço Itália

Logo Terraço

Ingredientes e drinks que marcaram cada década de vida do lendário bar e restaurante estão em cartaz de maio a setembro de 2017

Os "feras"

Os “feras”

O quê Marcelo Serrano, Laercio Zulu, Spencer Amereno, Jean Ponce e Fabio La Pietra tem em comum além do talento e o protagonismo na arte da Mixologia?

Todos estes “feras” da mixologia assinam alguns dos melhores coquetéis da cidade e transformam a coquetelaria em uma experiência completa, criativa e enriquecedora que vai do visual do drink aos ingredientes, texturas e sabores, tudo pensado para transformar o ato de bebericar em algo sagrado e inesquecível.

O melhor de tudo é que a partir desse mês e até setembro, este quinteto fantástico sobe os 40 andares do Terraço Itália para assinar coquetéis memoráveis.

Pelos seus predicados e genialidade foram convidados a criar drinks comemorativos aos 50 anos do Terraço, em releituras de bebidas que mais se consumiam em cada década. Uma homenagem digna da idade e altura do lendário ícone paulistano, erguido a 165 metros acima do chão e que já atravessou vários períodos da nossa cidade tão amada, São Paulo.

Drink Say my nmae

O primeiro deles “Say My Name”, de autoria de Marcelo Serrano (Brasserie dês Arts e Recreo) revisita a década de 70 sob a ótica Bitter, e já está em cartaz desde o dia 2 de maio no Bar do Terraço Itália, a R$ 42. É um drink à base de cachaça, licor marrasquino e Punt&Mes.

20161107_214005

O animado e simpático Laercio Zulu (Boteco São Bento e La Maison est Tombée) marca presença durante o mês de junho com o seu Banzeiro, à base de Cachaça Leblon, Xarope de bálsamo, sumo de limão Taiti, vinho tinto cabernet sauvignon e creme de gengibre (R$ 42), em referência à década de 80, com o tema creme ou licor cremoso, bola da vez que marcou os cocktails da época.

Em julho, em livre interpretação da década de 90, Spencer Amereno, do Frank’s Bar do Maksoud Plaza, assina o La Florida #2, à base de Bacardi Carta Blanca, Cacao Blanc Marie Brizard, CarpanoClassico, Grenadine caseiro, suco de limão siciliano e clara de ovo pasteurizada (R$ 42).

Jean Ponce (Guarita Bar) é a estrela de agosto com sua criação Osmar Maffeo, em releitura da década de 2000à base de gin infusionado com 4 especiarias brasileiras, Brasil Berg, Limão Siciliano, camomila artesanal, decorado com lavandas colhidas dos jardins do Terraço Itália, hortelã fresca e perfume de limão siciliano (R$42).

Modern Spritz é a criação de Fabio La Pietra (Peppino Bar) para as noites de Setembro, no Bar do Terraço, com gin, Aperol, suco de tangerina e Prosecco, revisitando a cena etílica de 2010, com o Prosecco em evidência (R$42).

Para comemorar as 5 décadas de existência, o Terraço Itália também criou um drink intitulado 50 Anni, que ficará em cartaz durante o ano todo, à base de Punt&Mes, Prosecco, Angustura e limão siciliano (R$42).

Sobre o Terraço Itália

Dotado de ambientes elegantemente decorados, atmosfera cosmopolita e vista de tirar o fôlego, o Terraço Itália é um complexo de lazer, gastronomia e eventos, com versatilidade para sediar almoços, jantares com piano e música ao vivo, eventos sociais e corporativos. Gastronomia comandada pelo chef toscano Pasquale Mancini, serviço impecável, adega com mais de 200 rótulos selecionados dentre bons produtores do velho e novo mundo, fazem de suas salas, restaurante e bar, o cenário perfeito para o entretenimento e o desfrute de bons momentos na cidade de São Paulo. Famoso pela atmosfera romântica e tido como melhor lugar para ir a dois, seu Piano Bar é conhecido pela excelente carta de drinks e o serviço atencioso de uma equipe treinada dentro de rigorosos padrões de qualidade.

Seu concorrido almoço, servido na Sala Nobre, é uma festa para os olhos e o paladar. Inclua-se aí a animada feijoada aos sábados  e o tradicional Buffet Italiano dominical, que atraem muitos visitantes e  são  programas  imperdíveis.

A Sala Panorama, por sua vez, reúne em um belo ambiente, boa gastronomia e música ao vivo.

E a Sala São Paulo permite a realização de eventos sociais e corporativos com a elegância e experiência de quem entretêm e encanta visitantes e clientes há mais de 48 anos.

O complexo pertence ao grupo Comolatti, e é presidido por Sergio Comolatti.

Terraço Itália

Avenida Ipiranga, n°344 – 41° – Centro

São Paulo – SP

Reservas: (11) 2189-2929

Formas de Pagamento: todos os cartões de crédito

Estacionamento com manobrista

www.terracoitalia.com.br

 

Tupi or not Tupi reúne ótima gastronomia, música e bebidas na Vila Madalena

20170411_142715

É por assim dizer um espaço múltiplo. A casa localizada na Vila Madalena tem em sua proposta a apresentação de música de qualidade, um cardápio pra lá de saboroso em harmonizações com drinks, cachaças escolhidas a dedo, entre outras surpresas incríveis que pude degustar.

Sonoridade, intimismo, aconchego são as palavras que resumem um pouco deste ambiente gostoso e que proporciona em cada prato, uma livre viagem em sabores, aromas, cores em sinergia.

20170411_131755

Quando se fala em música, a casa realiza shows toda semana, com presenças como Ivan Lins, Rosa Passos, Ritchie, entre outros. É também local apropriado para lançamentos de livros, workshops e estão abertas a estudar cada projeto e proposta apresentada.

Além do palco, da área destinada ao restaurante, disponibiliza em suas instalações um bar e também um café.

20170411_122304

20170411_124354

Na parte gastronômica a chef Raphaela Homem de Melo assina os pratos que vão desde as entradas como polenta com pesto e agrião, deliciosa, sanduíche de carne louca, bem diferenciado. Nos pratos, escondidinho de costela e mandioca, purê de batata doce com ragu de cogumelos. Nas sobremesas, doce de abóbora, doce de leite, cocada cremosa e brigadeiro e também brownie com sorvete de nata e coulis de amora, entre outras especialidades muito bem feitas, saborosas e com ótima apresentação. Imperdível!

20170411_131427

As cachaças são um mundo a parte. Escolhidas a dedo para as harmonizações ou para compor os drinks da casa, tem exemplares como a Claudionor, do Norte de Minas, a Santo Grau Solera, de São Paulo, a Serra das Almas Ouro da Bahia, Weber Haus Canela Sassafrás, da Serra Gaúcha, entre outras tantas saborosas e que determinam um estilo único e pessoal no consumo.

É também possível provar os coquetéis especialmente criados para a casa, os drinks tradicionais como Negroni, Dry Martini e Aperol Spritz.

Difícil descrever o que senti em cada prato degustado, em cada harmonização, nas cachaças saborosas e principalmente neste espaço único e muito bem cuidado em São Paulo.

É conferir!

SERVIÇO

Tupi or not Tupi

Rua Fidalga, 360 – Vila Madalena – São Paulo

Tels: 3813-7404 / 3817-4488

www.tupiornottupi.net

Horários

Shows: Quartas e quintas ás 21:00 horas e sextas e sábados ás 21:30 horas.

Restaurante e Bar: De quarta a sábado, á partir das 19:30 horas

Café: De segunda á sábado das 9:00 ás 20:00 horas.

Obs: O serviço da casa é interrompido durante o show

Manobrista no local.