Vinhos do Alentejo promovem degustação em São Paulo

Vinhos do Alentejo

São Paulo recebe mais uma edição dos Vinhos do Alentejo, dia 21 de Setembro na Unibes Cultural.

As safras alentejanas mais recentes e aqueles rótulos bem memoráveis serão apresentados por mais de 20 vinícolas:

Adega de Borba, Adega de Redondo, Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida, Companhia das Quintas – Herdade da Farizoa, Cortes de Cima, Dona Maria – Júlio Bastos, Encostas de Alqueva, Esporão, Herdade da Malhadinha Nova, Herdade do Mouchão, Herdade do Rocim, Herdade Grande Wines, Herdade São Miguel, Casa Agrícola HMR, J Portugal Ramos Vinhos, Lusovini Vinhos de Portugal, Medeiros, Monte da Capela, Monte do Pintor, Monte dos Cabaços, Monte Novo e Figueirinha, Sogrape – Herdade do Peso, Susana Esteban, Tapada do Fidalgo e Tiago Cabaço Winery.

Este ano, em São Paulo, haverá novidade para consumidores, a “Happy Hour Enogastronômica”. Trade e Mídia terão, como habitual, acesso livre à degustação, das 15h às 17h. Já das 17h30 às 22h (horário alargado), os wine lovers poderão participar de um evento gastronômico, com vinho para venda a copo ou garrafas a preços especiais, petiscos em botecos e muita animação. A entrada tem o valor de R$30,00, com oferta de taça para degustação, e pagamento dos consumos efetuados no local.

Em provas comentadas pelo crítico de vinhos brasileiro Alexandre Lalas. “Antão Vaz & Arinto: Uma Dupla de Respeito”, “Elegância à Alentejana”, “Imigrantes Bem-Vindas” e “A importância da Aragonez” se poderá aprender mais sobre esta região e seus vinhos.

Ao mesmo tempo que decorrem as grandes degustações, os Vinhos do Alentejo iniciam a 5ª edição de “O Melhor Sommelier Vinhos do Alentejo no Brasil”, concurso exclusivo para profissionais ligados ao serviço do vinho em restaurantes, lojas, empórios ou importadoras.

A região do Alentejo é líder do mercado português de vinhos – detém 44% em volume e 44,5% em termos de valor –, segundo dados referentes a 2016 da AC Nielsen. E o Brasil é o segundo principal mercado importador dos vinhos alentejanos no mundo, com cerca de 3,7 milhões de garrafas por ano.

CVRA – Comissão Vitivinícola Regional Alentejana

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é um organismo de direito privado e utilidade pública que certifica, controla e protege os vinhos DOC Alentejo e os vinhos Regional Alentejano. 
É também responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo, no mercado português e em mercados-alvo internacionais. Sua atividade é financiada através da venda dos selos de garantia que integram os contrarrótulos dos Vinhos do Alentejo.

Nós do Vinho dos Anjos estaremos lá, acompanhando as novidades e provando as novas safras.

Saúde!

 

Vinho One Bottle of Red 2015 harmonizado com pastel? Isso mesmo!

20170818_192650

Ás vezes  estamos a procura de um vinho que seja fácil de beber, descontraído e que pode ser degustado com qualquer prato ou ocasião.

O One Bottle of Red 2015 em sua característica é assim. Um corte das uvas Cabernet Sauvignon (87,5%) amaciado por 12,5% da uva Merlot, fica fácil de entender tamanha versatilidade no momento do consumo.

Vinho do Chile, sem passagem por barricas de carvalho, denota fruta em toda a sua essência, tanto nos aromas como em boca, tendo um corpo médio e uma estrutura tânica leve e equilibrada.

É ideal para ser tomado de forma descontraída, junto aos amigos e também para harmonizar com carnes vermelhas, queijos maduros e massas com molhos apimentados.

Experimentei com um pastel de carne bem condimentado e com toques de pimenta, e posso dizer que a surpresa foi boa, integrando o vinho na boca com a carne quentinha e apimentada do pastel. Show!

Estas são daquelas experiências que fazemos para ver o quanto um vinho pode ser apreciado em condições de puro “relax” familiar. Demonstra com isso a forma como podemos abordar o consumo do vinho, sem frescuras!

one bottle of red

O vinho tem teor alcoólico de 13% e seu preço está na faixa de R$ 49,00.

Maiores informações:

www.winebrands.com.br

 

 

Wine House Baby Beef: Adega espetacular e Wine Dinners de tirar o fôlego

Winehouse alta

Degustar um bom vinho é sempre algo que agrada, mas poder escolher em uma gama de variedade e preços diferenciados, visitando uma das maiores adegas climatizadas da América do Sul, ah! isso não tem preço!

Sem falar nos Wine Dinners promovidos constantemente pela casa, em ambiente aconchegante e descontraído. Além é claro, da churrascaria deliciosa ao lado.

Opções sem dúvida que atraem o melhor dos gourmets ou enófilos, em suas várias facetas.

Assim é o Wine House Baby Beeef localizado no Morumbi em São Paulo, onde invariavelmente visito e participo das degustações dirigidas, em Wine Dinners harmonizados, com presença de produtores e importadores, sempre marcantes.

Cito abaixo dois dos que participei, lembrando que a casa proporciona estas experiências quase que semanalmente.

Montes

– Viña Montes (Chile) da Importadora Mistral: Jantar e vinhos por R$ 175,00

Apresentou cinco vinhos, sendo dois do Vale de Curicó:

Montes Reserva Sauvignon Blanc, harmonizado com seleção de pães e queijos. Montes Alpha Syrah Rosé, harmonizado com Salada Paris.

Dois vinhos do Vale de Colchagua:

20170809_084452

20170808_195254

Outer Limits Carignan/Grenache/Mouvèdre harmonizado com risoto de queijo brie com aspargos frescos ao toque de azeite trufado. Montes Alpha Syrah harmonizado com Beef Ancho com tolete de pupunha assado na manteiga, sálvia e pimenta rosa.

20170808_223727

Para a sobremesa o Vinho Montes Late Harvest Gewurztraminer harmonizado com ganache de limão siciliano e mousse cítrico, envolvido em casca de chocolate branco belga.

Na finalização café Nespresso e petit fours.

Cobos

– Viña Cobos (Argentina) da Importadora Gran Cru: Jantar e vinhos por R$ 185,00

Apresentou quatro vinhos, sendo:

Cobos Felino Chardonnay harmonizado com tábua de frios e castanhas.

Cobos felino Cabernet Sauvignon harmonizado com vegetais assados com polenta cremosa.

20170818_140556

Cobos Crocodilo Blend harmonizado com pizza ½ parma com provolone e ½ marguerita

20170818_140955

Cobos Bramare Luján de Cuyo harmonizado com assado de tira Swift Black e batatas fritas com alecrim e sal rosa

A sobremesa foi sorvete de macadâmia La Basque com doce de leite argentino e farofa de castanha.

Na finalização café Nespresso e petit fours.

Acompanhem nossas postagens no Instagram e Facebook e divirtam-se com os próximos Wine Dinners!

Recomendo!

Wine House Baby Beef (Baby Beef):

Avenida marginal Pinheiros, 16.741 dentro do estacionamento do Extra Morumbi, em São Paulo

 

 

Chile: Chateau Los Boldos e a excelência em sua linha de vinhos

20170802_163656

Que o Chile vem elaborando vinhos de grande qualidade isso é notório, mas perceber que uma determinada linha de vinhos aparece totalmente revigorada e única, isso só o comparativo pode proporcionar.

Neste sentido fomos apresentados aos novos vinhos que desembarcarão ao longo dos próximos dois anos aqui no Brasil.

Os vinhos do Chateau Los Boldos, provenientes do Valle de Cachapoal, Chile, se apresentam nas garrafas com a mais alta gama em qualidade. Trazidos pela Importadora Zahil, tem sua história recontada na reformulação de suas linhas e vinhos.

Novo desenvolvimento com características modernas e adequadas a uma “não padronização”, surgem em cada terroir, em cada desenvolvimento seja nos blends ou nos varietais.

20170802_153156

Pertencente ao Grupo Sogrape, de Portugal (Desde 2008), o Chateau Los Boldos desenvolve e divulga seus vinhos e sua marca de forma independente, desde que implementou a plantação em 2010, na evolução da matéria prima e enológica, refletindo um legado europeu em solo chileno, onde impera a qualidade na produção 100% de uvas próprias.

Não vou aqui descrever cada um dos sete vinhos apresentados para a imprensa, e nem mesmo os apresentados no “walk around” de safras anteriores ao novo projeto, mas evidencio o que me chamou atenção como preço e especificamente alguns dos vinhos degustados.

Lembrando que a experimentação possibilitou o comparativo entre um estilo de fazer anterior e o novo, superando as expectativas e envolvendo em cada taça degustada.

Obviamente quem conhece meu gosto pessoal sabe que sou um apaixonado pela uva Chardonnay e pela Cabernet Sauvignon, e eu não poderia deixar de descrever estes vinhos.

20170802_175046

– Tradition Réserve Chardonnay 2017 (O anterior 2015 também proveio em paralelo).

13% de teor alcoólico é um vinho na faixa de R$ 76,00.

Amarelo pálido, com toques brilhantes e reflexos esverdeados.

Este vinho tem passagem de 20% em madeira por 3 meses, e demonstra uma sutileza nos aromas, evidenciando a fruta, pedra de isqueiro e também aspargos verdes.

Em boca revela um toque resinoso, químico e floral, bem como excelente acidez e persistência demonstrada no equilíbrio do conjunto. Tem bom corpo, é elegante e fácil de beber. Um vinho que preencheu meu paladar trazendo alegria e contentamento. De encher os olhos e a taça, sem parar!

Bom potencial de guarda (ao menos 5 anos).

Já na safra anterior, a 2015, notei mais madeira, dificuldade de saborear, mais peso e amargor final.

– Tradition Réserve Cabernet Sauvignon 2016 (O anterior 2015 também provei em paralelo).

13,5% de teor alcoólico, também na faixa de R$ 76,00.

Cor rubi intensa com reflexos arroxeados.

Vinho que tem passagem em carvalho francês por 6 meses, apresentando aromas de framboesa, especiarias e um toque de aroma doce.

Em boca tem taninos macios e suaves, é de médio corpo, fácil de beber, boa acidez e equilíbrio, com um toque de chocolate muito agradável.

– Grande Réserve Cabernet Sauvignon 2015 (Anterior safra 2012).

Aqui a gente começa a falar de complexidade, tanto aromática como em boca.

Este excepcional Cabernet tem colheita manual e passagem de 10 meses em barricas de carvalho francês.

Tem coloração rubi intensa e profunda.

Nos aromas demonstra toda a sua intensidade e diz ao que veio. Aromas diversos que envolvem e chamam á taça. Cerejas, cassis, couro e fumo.

Em boca além de evidenciar os aromas e comprovar na taça a fruta, o equilíbrio e o corpo, apresenta taninos redondos, persistência, fruta em compota mas sem ser doce. Um “super” Cabernet adequado ao meu paladar e aos amantes desta uva.

14% de teor alcoólico e preço na faixa de R$ 147,00

Apresenta grande potencial de guarda, possivelmente acima de 10 anos que ao longo do tempo, vai exprimindo toda a sua maturidade e complexidade na taça.

20170802_180403

Provei outros vinhos, que também me agradaram muito, como o Tradition Réserve Sauvignon Blanc 2017, de grande frescor. Delicioso!

Provei também 2 Carmenérès e o Assemblage. Garanto que cada um desse vinhos vale muito a pena.

Agora é esperar desembarcarem no mercado brasileiro, trazidos pela Importadora Zahil.