Ferreira Porto: Referência em qualidade e história

Porto Ferreira

Não há como falar da história da evolução da região Demarcada do Douro sem mencionar o nome da mulher que revolucionou sua época e ajudou a construir uma marca que é referência mundial no mundo dos vinhos.

No dia 26 de março (sábado) fará 120 anos da morte de uma mulher forte, de espirito empreendedor e que amava o que fazia.

Por trás da região do Douro e dos vinhos do Porto, ícones da identidade portuguesa, está

Antónia Adelaide Ferreira – a famosa Dona Antónia. Ferreirinha, como era chamada carinhosamente, que herdou os negócios da família em 1844, aos 33 anos de idade. Mulher de fibra, não se limitou a gerir a herança e fez uso de sua energia e personalidade para expandir os negócios, sempre mantendo o seu carisma natural e a preocupação com o bem-estar dos seus funcionários.

Onde o machismo predominava, Dona Antónia construiu uma das mais colossais fortunas do seu tempo. Fez frente aos ingleses que dominavam o vinho do Porto, recusou títulos, enfrentou pragas naturais devastadoras, construiu e melhorou dezenas de quintas e foi durante anos a maior exportadora do vinho do Porto e sua reputação ficou tanto pelo seu caráter de empresária, como também a de protetora dos mais necessitados, sendo responsável pela construção do Hospital da Régua, sua região natal, e por outras importantes obras sociais.

Em 1988, os seus descendentes decidiram criar o Premio Dona Antónia Adelaide Ferreira que, anualmente, reconhece mulheres portuguesas que, por seu empreendedorismo e habilidades humanas, tenham se destacado por replicar o exemplo de Ferreirinha nos dias atuais, em especial contribuindo para o desenvolvimento econômico, social e cultural de Portugal.

Prêmios Ferreira Porto

 

www.inovini.com.br

 

 

 

 

 

Quer baton? Não, não é batom de maquiagem, é vinho e dos bons!

A Degustação

Curioso nome, não? Mas ele foi escolhido para fazer uma referência ao que vem do francês “bâtonnage”, um termo utilizado para descrever a agitação que se processa no vinho, enquanto ele ainda está em contato com as borras, colocando as leveduras mortas em suspensão que estão depositadas no fundo, dando um maior corpo ao vinho e untuosidade.

A empresa Terroir d`Origem, criada em 2010 se instalou no Douro, mais precisamente na Aldeia de Casal de Loivos. Apresentou seus vinhos importados pela Vinho Sul, em almoço realizado no North Gril, do Shopping Frei Caneca.

O enólogo Carlos Lucas falou sobre os vinhos, tecendo observações do projeto e suas propostas, que incluem em suas diretrizes fazer vinhos com personalidade e expressivos.

Foram reunidos jornalistas, blogueiros e formadores de opinião para uma degustação de seus vinhos.

Com vinhas plantadas á 50 anos e também as mais recentes de 15 anos, num solo de xisto, os vinhos se mostraram, em sua maioria, expressivos e harmoniosos. Degustei quatro vinhos, sendo dois brancos e dois tintos.

Os Vinhos degustados

Foram eles:

– Tom de baton Douro 2010 (DOC Douro / Branco): Composto de Viosinho, Códega, Malvasia-fina, Gouveio e Ribagato. Teor alcoólico de 13,7%. Vinho bem seco, com acidez bem pronunciada, que não passa por madeira. Proposta de vinho sem oxidação, mais longevo e fresco. Apresenta aromas de frutas tropicais e notas limonadas. Referência de preço R$ 71,02

– baton Douro 2010 (DOC Douro / Branco): Composto de Viosinho, Rabigato e Gouveio. Teor alcoólico de 14,1%. Vinho com bom corpo. Apresentando notas amanteigadas, um leve toque de cogumelo, harmonioso, gastronômico, muito elegante e com ótimo final de boca. Referência de preço R$ 115,79

– Tom de baton Douro 2009 (DOC Douro / Tinto): Composto de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca, Tinta Francisca e Sousão. Teor alcoólico de 13,5%. Um vinho que não passa em madeira, aromas de frutas vermelhas, muito redondo na boca, harmonioso e gastronômico. Referência de preço R$ 76,48

– baton Douro 2008 (DOC Douro / Tinto): Composto de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Tinta Barroca, Touriga Franca, Tinta Francisca e Sousão. Teor alcoólico de 14,6%. Vinho elaborado em “pisa pé”, estagiando em barricas novas de carvalho por dois meses, nos aromas, frutas vermelhas, framboesa. Na boca, acidez equilibrada, muito “redondo”, harmônico e untuoso. O melhor de todos da prova, sem dúvidas. Referência de preço R$ 125,41

Harmonizando com os tintos

Todos estes vinhos me agradaram muito, são vinhos expressivos e deliciosos. Brancos ideais para um canapé, ou peixes. Tintos que acompanham muito bem carnes e massas com molhos bem elaborados.