Casa de Uco Vineyards: Sobre como produzir o seu próprio vinho

Casa de Uco a noite

Já se imaginou produzindo o seu próprio vinho ou ainda podendo definir que uvas vai compor a sua garrafa?

Bem, aqui uma oportunidade única de experimentar, definir e possuir, assim como comercializar o seu próprio vinho.

Não se trata de pegadinha, é uma oportunidade muito bem estruturada para quem é amante de vinhos, ou vislumbra uma oportunidade de mercado.

 Casa de Uco dia (2)

A Casa de Uco Vineyards & Wine Resorts, Vale de Uco, Mendoza, Argentina dispõe de estrutura física, vinhedos, capacidade produtiva e venda de lotes, inclusive realizando a consultoria e orientações para todas as fases da produção na totalidade.

O local além de ser um paraíso ao visitante com seu hotel localizado no Vale de Uco, com 320 hectares onde oferece a hospedagem e passeios, ao adquirir seu lote, o proprietário pode ter o seu espaço de hospedagem próprio, criando a “sua vila”, o seu espaço particular junto ás vinhas, construindo e se quiser até morando no local.

Para se ter uma ideia do projeto como um todo, é possível definir as uvas do seu lote, o seu terreno, a sua parcela, o blend, o processo de vinificação e até se terá passagem por madeira, ovo de concreto, garrafa, rótulo, etc. Uma experiência única em se tratando de vinhos e produção individual.

Cada lote pode ter entre 2 mil e 32 mil metros quadrados, sendo que há lotes que começam com preços á partir de US$ 50 mil mais a taxa de manutenção anual de US$ 7 mil.

Atualmente existem cerca de 4 tipos de uvas tintas plantadas na propriedade e 4 tipos de variedades brancas.

Nas tintas há a possibilidade de se elaborar com as uvas Cabernet Franc, Malbec, Petit Verdot e Pinot Noir, inclusive varietais.

Para as brancas a Chardonnay, a Sauvignon Blanc, a Torrontes e a Pinot Grigio.

Os vinhedos começaram a ser plantados em 2008/2009 sendo que as primeiras safras são de 2014/2015. Utilizam as leveduras indígenas sendo que é possível atingir teor alcoólico na casa de 14% ou mais dependendo da condução, clima e precipitações.

20170830_205552

É uma experiência única que em parte tive a oportunidade de desenvolver, ao efetuar uma série de misturas e blends com uvas locais e nas proporções por mim definidas, assim como estilo do vinho, características, etc.

20170830_233719

Na minha brincadeira meu blend foi 85% da uva Malbec 2014 barricada por 36 meses, 10% de Cabernet Franc e 5% de Malbec 2016. Resultou em um vinho elegante, com ótimo corpo, concentração de fruta em compota, estruturado, taninos macios. Um vinho de meditação, de guarda, um Gran Reserva que me agradou muito.

Amei participar desta experiência única que pode ser experimentada por quem deseja se hospedar no hotel e adquirir um dos lotes do projeto.

Para maiores informações contatar:

www.casadeuco.com

ou com Luciano: luciano@casadeuco.com  / +54 261 476 9831

 

 

 

 

Do sonho a realidade: Vinhos da Vinícola Selene

Por: Eduardo Morya e Almir Anjos

Selene 2

No início de dezembro foi lançada em São Paulo a Selene Vinhos, de propriedade do executivo Douglas Silva.

Uma das paixões de Douglas é o vinho (E claro, nossa também).  Em suas viagens internacionais visitava vinícolas e apreciava bons vinhos sonhando no futuro, produzir vinhos com a mesma qualidade dos que experimentava. Este sonho o levou a La Consulta, no Valle de Uco, Mendoza – Argentina, onde acabou firmando uma parceria com a Bodega O.Fournier de Jose Manuel Ortega.

Nesta parceria, Douglas adquiriu o lote do vinhedo e as uvas colhidas se destinariam a elaborar vinhos em pequena escala, com alta qualidade e personalidade, trazendo alegria ao serem degustados; caberia a O.Fournier cuidar da manutenção dos vinhedos e dos processos de vinificação.

O sonho se tornou realidade e os vinhedos de Malbec, Tempranillo, Cabernet Sauvignon e Touriga Nacional transformaram-se, após muito trabalho e dedicação, nos  vinhos apresentados por Douglas e Jose Spisso (enólogo da O.Fournier) e que descrevemos aqui em nosso post.

O nome Selene foi inspirado na mitologia grega e significa “Deusa da Lua”, com suas fases e luminosidade.

Selene 1

Os Vinhos:

– Selene Malbec 2014: 100% Malbec – teor alcoólico 14,9%. Solo aluvial e calcário, vermelho rubi, estágio de três meses em barricas.

Vinho jovem, fresco, elegante, taninos macios. Preço sugerido: R$ 66,90

– Selene Reserva 2010: Um corte 40% Malbec, 40% Tempranillo, 10% Cabernet Sauvignon e 10% Touriga Nacional – teor alcoólico 15,2% – estágio de doze meses em barricas de carvalho francesas (50% novas e 50% de primeiro uso).

Vinho potente e complexo, apresenta algo de vegetal, seus taninos são elegantes, apresenta-se em equilíbrio com o teor alcoólico. Preço sugerido: R$ 116,90

– Gran Selene Malbec 2010: 100% Malbec – teor alcoólico 14,7% – estágio de vinte meses em barricas de carvalho novas (80% francesa e 20% americana).

Vinho top da Selene, cujo nome remete aos Grand Crus da Borgonha. A meticulosa fermentação resulta em um vinho encorpado, com aromas e sabores intensos e complexos, taninos polidos e elegantes. Preço sugerido: R$ 198,00

Douglas Silva continua a realizar seus sonhos e agora pretende firmar a marca Selene como vinhos exclusivos de alta gama no Brasil, na Argentina e outros mercados, além de lançar novos rótulos.

Informações adicionais e vendas:

www.selenevinhos.com.br

 

Força do Terroir da Argentina foi ponto forte em explanações este ano no AWA

Por: Eduardo Morya e Almir Anjos

DSC00085

Este ano a Wines of Argentina organizou pela primeira vez no Brasil o Argentina Tasting Experience (ATE) e trouxe para São Paulo vinhos ganhadores do concurso Argentina Wine Awards (AWA) 2015.

O AWA é realizado desde 2007, premiando a qualidade e a evolução dos vinhos argentinos, com a avaliação de renomados experts internacionais que variam a cada edição e às cegas, classificando as amostras por tipo, variedade e preço.

O evento que aconteceu em São Paulo, muitas foram as palestras e conduzidas por renomados enólogos (Bernardo Bossi Bonilha, Hervé Birnie Scott e Sebastián Zuccardi).

Houve também provas de vinhos realizadas em formato inovador, dinâmico e interativo.

DSC00090

Vale ressaltar a interessante palestra proferida por Sebastián Zuccardi com o tema “Vinhos de Montanha”.

Embora o evento tenha sido realizado em setembro, as informações são precisas e norteiam o que é e será a Argentina nos próximos anos, em se tratando de vinhos.

Sebastián é agrônomo-enólogo da Bodega Familia Zuccardi de Mendoza e grande estudioso da influência do terroir nos vinhos que elabora, definindo locais de produção com rigoroso critério.

Em Mendoza a Cordilheira dos Andes é fundamental para a produção dos vinhos de montanha, definindo um deserto de altitude com baixa pluviosidade. Da montanha derivam as influências sobre o terroir.

O Vale de Uco possui altitudes variáveis de 900 a 1.500 m. acima do nível do mar e esta altitude desempenha papel ativo na temperatura e luminosidade, na água que tem origem no degelo da montanha e no solo de origem aluvial com minerais, areia, limo, argila, cascalho e outros componentes provenientes da montanha, distintos e desuniformes. Estas características marcam profundamente os Malbecs produzidos na região.

Atualmente Sebastián além de outras observações (influência do ser humano definindo os tratos culturais, colheita e vinificação), desenvolve estudos nas áreas de produção da Zuccardi em locais distintos do Vale de Uco (Los Chacayes-1.100m, Altamira-1.100m, San Pablo- 1.400m, Gualtallary-1.255m).

DSC00105

A comprovação das diferenças foi realizada com quatro vinhos da safra 2015 que, engarrafou, utilizou rótulos provisórios e trouxe para serem degustados. Estes vinhos foram produzidos com uvas da seleção dos melhores lotes, com colheita manual, fermentação com leveduras nativas em ânforas de cimento que favorecem a oxigenação. Serão engarrafados em 2016 para comercialização e não devem estagiar em madeira.

Estes quatro Malbecs possuem personalidades bem claras e distintas, com perfis de cores (intensidade, tonalidade), aromas (frutas, flores, especiarias) e gustativos (frutas, minerais, taninos) diferentes, nos permitem desfrutar e comparar regiões, solos e o processo de condução.

Para Sebastián: “O futuro do vinho na Argentina passa pela identidade do lugar”.

Nos vemos no Wines of Argentina (ATE) em 2016. Sempre com novidades!