Semana mais etílica do ano termina nesta sexta. Ou seria domingo?

IMG_2776

Já era sabido que iria ser uma maratona. Entre vinhos, produtores, importadoras e opões para os mais diversos apreciadores, chega ao fim mais esta semana, a mais etílica do ano.

Não que deixemos de ter mais oportunidades de degustar coisas fabulosas, inclusive no final de semana, mas porque nesta se concentrou os grandes momentos de rever amigos e estar degustando o néctar concedido por Baco.

Começamos pelo Gambero Rosso, com italianos de peso e oportunidade de provar vinhos deste país maravilhoso, a Itália.

IMG_2785

Seguimos para o Encontro de Vinhos, que este ano foi na Casa da Fazenda e reuniu neste ambiente agradável, a oportunidade de estar próximo a ótimos vinhos e conhecer um pouco mais das particularidades de cada um, além é claro, de estarmos lá presentes representando o Selo 7 Sommeliers e passando informações sobre o conceito e os objetivos ao consumidor.

Na quarta feira dois momentos diversos: O debate sobre vinhos na Fecomércio e a abertura da Expovinis 2013.

IMG_2824

IMG_2829

Como se não bastasse tudo isto, caminhar nos corredores desta que é a maior feira de vinhos das Américas, é no mínimo uma diversão garantida.

Em encontros inusitados, em conversas com produtores, em degustações agendadas, em mudanças de um país ao outro, em um simples passo. Concentrados nos pavilhões, senti a explosão dos aromas na taça várias vezes, puxando pela memória olfativa eu vibrei a cada encontro e reminiscências.

IMG_2841

Deixar descortinar cada momento de vida e ter ao lado os bons vinhos nos faz elevar o conceito do “bom” e da intensidade da vida, as paixões, os sonhos realizados e o porvir.

Mais uma Expovinis, mais um ciclo fechado. Outros virão, com certeza, em oportunidades, encontros e desafios.

Saúde á todos!

As Quatro estações de Vivaldi: Evento multissensorial reúne vinhos, música e gastronomia

Ventisquero

É hoje o evento da Baccos que reúne em um só momento, vinhos da Viña Ventisquero (Cantu), na Baccos.

Ao som das Quatro Estações de Vivaldi, os vinhos seguem harmonizados com cada ato da famosa peça de Antonio Vivaldi.

A ideia é harmonizar os vinhos e a parte gastronômica com os sons da música em toda a sua plenitude e sinergia. Sem dúvida um desafio, mas também uma soma de intensidade nos sentidos.

Baccos

Abaixo a programação:

– “La Primavera” – Allegro

Ramirana Gran Reserva Sauvignon Blanc / Gewurstraminer

Harmonização: Frutas cítricas da estação

– “L´Estate” – Presto

Ramirana Reserva Cabernet Sauvignon / Carmenérè

Harmonização: Seleção de queijos

– “Lautunno” – Allegro

Ramirana Trinidad2008

Harmonização: Seleção de embutidos

– “L´Inverno” – Allegro non Molto

Vértice 2007 – Valle de Apalta

Harmonização: Empanadas de carne chilenas

Local: Baccos – Rua Sergipe, 568 – Higienópolis

Horário: 20:00 horas

Ingresso: R$ 50,00

Tel.: (11) 3660-8108

 

 

 

 

Há poesia nos vinhos…

 

Como um hábito pode ser eternizado no tempo?

Assim como as crenças que se propagam?

O vinho se renova nos encontros

Determinados pelos momentos,

Pelos acontecimentos e pela história.

Envolvem as pessoas e seus sentimentos,

Abrem portas e fazem amores.

Em cada descoberta, uma surpresa;

Assim como os gestos espontâneos,

Que alegram nossa existência,

Aquecem nossos corações.

Sentimos o pulsar da vida,

A alegria e a felicidade.

Somos um, somos muitos,

Á compartilhar a grandeza

E os momentos inesquecíveis.

Talvez os deuses… com certeza um Deus.

Abraçando calorosamente,

Igualando no crescimento e na vontade.

Somos um, somos muitos.

Uma sensação… várias.

Poderia ser apenas um prazer terreno,

Mas é o fruto da sabedoria do homem,

Na sua busca, na eternidade,

No amanhã que se esconde no infinito

…de nossos dias…

 

Almir Luppi dos Anjos

 

Eh…vida!

Tenho pensado e visto tantas coisas ultimamente…
Tantas coisas me levam à reflexão sobre a vida e a importância de cada momento, principalmente ao lado de quem se ama.

Viver é uma dádiva especial. A vida mostra quem somos, como pensamos, e através das nossas atitudes, podemos dar ao outro, a importância que cada um de nós tem, simplesmente por existir.
Amar é compartilhar, nas circunstâncias do bem querer.
Tudo às vezes parece ser uma utopia: a de querer que todos possam dividir o conhecimento, o amor, a fraternidade. Mas, se pararmos para pensar na vida, se não existisse a ganância ou até mesmo o orgulho e a vaidade que cega, como ela seria?
Vemos pessoas ganhando tanto dinheiro, mas será que elas, na sua capacidade extrema de consumo, comem por 10 pessoas, por exemplo? Sim, é impossível garantir um índice de consumo regular e uniforme de forma a que a vida siga e as nações cresçam, se a divisão não permite aumento no consumo, por não querer, mas também por não podermos ir além do que um ser humano possa consumir.
Você pode ter carros, você pode ter casas e barcos, mas você não usa tudo ao mesmo tempo, não usa. É impossível!
Daí, a roda da vida, em um mundo capitalista, não segue, para.
E aí está a grande oportunidade de compartilhar, assegurando ao outro uma qualidade de vida melhor, mais digna e verdadeiramente humana.